quarta-feira, 1 de outubro de 2014

O futuro é digital

Fonte: Sport Business Daily, foto por Getty Images
A discussão sobre a profissionalização da gestão de entidades esportivas no Brasil - paradigma difícil de ser quebrado face a forte resistência cultural, para não dizer vício de conduta - persiste.

Continuamos focados nos resultados esportivos, sem nos darmos conta que o esporte, enquanto conteúdo, apesar de supérfulo, possui uma linguagem universal e, por isso, torna-se valioso para qualquer um que busca obter ganhos através da sua associação.

Possui uma linguagem universal porque, independente da nossa origem, língua, grupo social ou cultura e mesmo sem saber de que modalidade se trata, podemos identificar que ali está acontecendo uma disputa, um confronto, um jogo.

Por esse mesmo motivo, sua abrangência é global.

Um outro ponto a ser levado em conta deve-se ao fato de que esporte é entretenimento e assim deve ser encarado.

Bom exemplo disso, ocorre nas ligas americanas, em especial na NBA, que vislumbra o futuro da liga para os próximos 10 anos como foi noticiado no site do Sport Business Daily.

A liga americana de basquete pretende readquirir alguns direitos sobre mídia digital negociados com a Turner Sports TV em 2008, vislumbrando nova possibilidades comerciais e ainda novos canais que possam ser explorados com maior rentabilidade, além de renegociar novos dias e horários para transmissão de seus jogos.

Isso mesmo, as ligas americanas determinam dia e horário de transmissão de seus jogos e negociam com diversas emissoras para adquirirem esses direitos.

Alex Martins, CEO do Orlando Magic e membro do comitê executivo disse que o foco é no futuro digital da liga. "É sobre os próximos 10 anos", disse ele.





domingo, 16 de fevereiro de 2014

Início

Início é qualquer dia,
destino é só seu.

Agir é ato motriz,
persistir é seu dom.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

É culpa da natureza




Ok, você poderá me dizer que a quantidade de chuva que cai na cidade do Rio de Janeiro é acima do esperado para o mês de dezembro, quiçá para todo o Verão...


Você poderá me dizer que quando as obras forem finalizadas, tudo estará resolvido.

Você poderá me dizer que na final da Copa do Mundo FIFA 2014, se cair a chuva que cai hoje, não terá nenhuma cena como a da foto.

Eu posso até errar e ficarei feliz por isso, mas digo que, apesar de ser um profissional do mercado do esporte, não acredito em mais nada.

Sou como Tomé, aquele que precisou tocar nas chagas para comprovar sua veracidade.

Teremos problemas dos mais variados, mascarados e maquiados por tapumes, pinturas e planos de câmeras.

VVIPs e VIPs não passarão nem perto deles, muitos menos turistas estrangeiros.

Torço para que jornalistas e correspondentes do além mar tenham a audácia de buscar histórias fora das linhas limítrofes do campo de jogo e das redomas invisíveis dos organizadores.

No final, independente do custo, das mazelas e das falsas promessas políticas, essa Copa do Mundo será a melhor copa de todos os tempos como de praxe.

Pelos menos até a próxima ser realizada.