terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Tristeza

Dor profunda,
e sombria.

Bastião da política,
suspeito ladrão.

De outrora,
ou de hoje.

Democracia infantil,
inocentes erros.

Atrocidade veroz,
separa iguais.

Diferença não há,
engano tolo.

Elite são eles,
embolorada.

Contra nós,
todos nós.



quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

O extremo é tolo

Todo extremismo é tolo.

A paixão dicotômica obnubila a razão, exacerba nossas emoções.

É preciso acalmar os ânimos, afastar-se, ver o todo e colocá-la, a razão, sobre tudo.

Não existem certos, todos estão errados. Direita, esquerda, centro, todos estão de um lado só: o deles.

Tolos somos nós, que tomamos partido, defendendo suas bandeiras, enquanto a luz do dia, seguem faceiros.

Aqui, lá e acolá, o errado passa a ser certo e o certo perdeu o sentido. Nossa sociedade adoeceu, padeceu e sucumbiu a falta de um alto padrão moral e ético.

Nos tornamos corruptos inatos, daí, permanece o sistema intacto.




quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Não há o que se comemorar [não existe fuga II]

É preciso se afastar... E muito.

Essa polarização enfadonha não nos permite enxergar todo o cenário numa vista panorâmica.

Permanecemos na pequinez e na miopia do absurdo radicalismo que leva a uma ação insensata sem devida reflexão.

É preciso placidez... E muito.

A mente deve estar calma, apaziguando o calor e a intensidade das paixões.

Para uma reflexão mais profunda sobre o que é o âmago, a origem de tudo.

Nossa sociedade sofre de uma doença crônica e terminal.

Perdemos a noção do certo e do errado, nossos valores morais e éticos estão nos níveis mais baixos.

Descemos ao fundo do poço e continuamos a cavar, quem sabe até as profundezas escaldantes.

E não escrevo sobre nossos representantes, mas sobre nós mesmos.

Olhe ao seu redor, quantos desacertos são cometidos na base do "jeitinho" e do "ninguém está olhando".

Pagamos "um cafézinho", furamos filas, jogamos lixo no chão, sonegamos impostos, a lei "não pega", não cumprimos contratos.

Realizamos na nossa rotina diária pequenos atos de corrupção e de pobreza moral, menosprezando o público, o de todos.

Faça a reflexão, se ponha no lugar do outro, pergunte-se antes de agir.

Busque a retidão.